30 ANOS SEM O PAI DO SUSPENSE

Publicado: 29/04/2010 em allTV, Paulo Ragassi, PROGRAMA TAH LIGADO!, Uncategorized
Tags:, , ,

Há três décadas morria Alfred Hitchcock, diretor que inventou um estilo próprio de filmar tramas psicológicas, fazendo escola até hoje Há 30 anos morria o mestre do suspense do cinema, o diretor inglês Alfred Hitchcock, responsável por criar mais de 50 longas e cenas clássicas da história da cinematografia. Quem não se lembra da cena do chuveiro, onde Marion Crane é assassinada no banheiro do Bates Hotel no filme Psicose? Ou do ataque de aves pretas a humanos na cidade de Bodega Bay, em Os Pássaros? Foram vários os clássicos dirigidos por Hitchcock ao longo de seus 80 anos (leia box ao lado), que, apesar de ter sido indicado cinco vezes ao Oscar de melhor diretor, nunca levou a estatueta. Nada de monstros aterrorizantes, fantasmas e espíritos, zumbis ou qualquer tipo de tema sobrenatural. O suspense de Hitchcock vinha, basicamente, aliado aos personagens humanos. Seus filmes, com efeitos, trilha sonora, edição, fotografia e direção de arte bem trabalhados deram a Alfred status de grande diretor. Nas produções o clima de tensão era aumentado pelas características psicológicas dos personagens, os cortes de câmera e as cenas precisas e longas. Nascido Alfred Joseph Hitchcock, em Leytonstone, na Inglaterra, começou a carreira em 1919, fazendo filmes mudos da Paramount. Em 1925 terminou seu primeiro filme e, um ano depois, estreou na categoria longa-metragem com o suspense, O Inquilino. Na época Hitchcock começava a imprimir sua marca como diretor, trazendo tramas que permeariam por toda sua carreira. Casou-se com Alma Reville e teve a única filha, Patricia Hitchcock, que atuou em alguns de seus filmes. O primeiro filme sonoro britânico, Chantagem e Confissão, dirigido por ele trouxe a conexão entre sexo e violência, tema que faria parte de vários outros longas do diretor. Na década seguinte, Hitchcock acumulou sucessos graças à crítica francesa, a primeira a reconhecer seu trabalho. Em 39 Degraus, o diretor usou pela primeira vez a técnica chamada por ele de MacGuffin, que consiste em usar um objeto para ajudar no desenrolar da história, mas mais tarde se torna sem valor para a trama. Em Psicose, o MacGuffin é o dinheiro roubado por Marion. Em 1939 o diretor mudou-se para Hollywood, ganhou cidadania norte-americana, e criou o filme Rebecca – A Mulher Inesquecível rendeu nove indicações ao Oscar (vencendo apenas a de melhor filme e fotografia). Festim Diabólico, o primeiro filme colorido de Alfred, ganhou notoriedade por ter grandes cenas em plano-sequência, referências a Nietzsche e ao homossexualismo. Na trama, Brandon e Philip matam seu amigo David, por se considerarem intelectualmente superiores. O filme de 80 minutos possui 10 tomadas, com cerca de oito minutos cada. Nas décadas de 1950 e 1960 Hitchcock consagrou-se como o grande nome do cinema de suspense, com clássicos como Os Pássaros e Psicose.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s