Arquivo de dezembro, 2011

dIA 06/01/12 NO @TAHLIGADO a @bandamrkaos a partir das 15:30 … on Twitpic.

 

Nascida e criada entre cases e pôsteres no sótão do vocalista Karim, a MR KAOS lança o terceiro CD “… Todos Os Dias” aos 11 anos de estrada. Com as mais variadas influências de grandes nomes do rock nacional dos anos 80 e 90, hoje a banda apresenta material próprio, que define a personalidade e perfil de cada integrante. O grupo que já passou por algumas formações, desde 2010 encontrou a harmonia perfeita de som e idéias com Karim (voz e guitarra), Heder Stefano (guitarra), Thiago Kazou (baixo) e Hub (bateria), que os levou a um estilo versátil e arrojado. A história da MR KAOS não é muito diferente de outras bandas: começou como um hobby, uma brincadeira entre amigos fazendo covers de seus ídolos. Com o passar do tempo veio o amadurecimento, que resultou na vontade de fazer algo mais “sério” com músicas inéditas e arranjos originais.  Em 2002 nasceu o primeiro álbum “Fazendo a Correria Passo a Passo”, com produção de Mário Lucio Marques, que marcou uma década de sucesso com o Placa Luminosa. Quatro anos depois, veio o disco “Produto do Rock”, produzido por Junior Lanne – que tem sem sua lista de trabalhos, nomes como a banda Mamonas Assassinas. Hoje eles carregam na bagagem a experiência de abrir shows de ícones do rock nacional como Capital Inicial e Charlie Brown Jr, momentos de satisfação e orgulho para eles que sempre buscaram seu lugar ao sol. A MR KAOS também ganhou o festival da TV Rock Underground em 2007, como melhor banda, além de vencer o festival Demohits da Claro, que os premiou com o toque polifônico da música “Um dia Talvez”, uma das faixas do atual CD, que pode ser adquirida por todos os clientes da operadora. A mais recente conquista foi a gravação do novo videoclipe “Nessa história”, atual música de trabalho, dirigido por Victor Dalla e produzido pela Coragem Filmes. Com produção totalmente independente, o clipe foi gravado no lugar mais especial para a MR KAOS, onde a banda nasceu e evoluiu, no sótão da casa de Karim.  Atualmente com as novas conquistas da MR KAOS, os integrantes se dividem entre a música e suas outras atividades: Karim é dentista, Heder é professor de artes, Thiago atua como farmacêutico e Hub dá aulas de bateria. Mas mesmo quando não estão trabalhando, nos momentos de lazer os instrumentos estão sempre presentes, pois a vontade de compor e tocar músicas inéditas é mais do que uma paixão, é uma vocação.  

 

 

 

 

 

Osvaldo Lenine Macedo Pimentel, conhecido apenas como Lenine, (Recife, 2 de fevereiro de 1959) é um cantor, compositor, arranjador, escritor, letrista e músico brasileiro. Ocupa a cadeira 38 como acadêmico correspondente da Academia Pernambucana de Letras.[carece de fontes. Filho de um velho comunista e de uma católica praticante, criou-se porém uma espécie de détente na família. Até os 8 anos, os filhos eram obrigados a ir à missa com a mãe. Depois disso, ficavam por conta do pai: Marx era leitura obrigatória. Aos domingos, ouvia-se música de todo tipo – canções napolitanas, música alemã, música folclórica russa, Glenn Miller, Tchaikovsky, Chopin, Gil Evans, e mais tarde, Hermeto Pascoal e os tropicalistas. Foi para o Rio de Janeiro no final dos anos 1970, pois naquela época havia pouco espaço ou recursos para música no Recife. Morou com alguns amigos, compositores. Dividiram por algum tempo um apartamento na Urca, depois uma casinha numa vila em Botafogo, famosa por ter sido moradia de Macalé e Sônia Braga. Depois foram para Santa Teresa. Lenine teve seu som gravado por Elba Ramalho, sendo ela a primeira cantora de sucesso nacional a gravar uma música sua. Depois vieram Fernanda Abreu, O Rappa, Milton Nascimento, Maria Rita, Maria Bethânia e muitos outros. Produziu “Segundo”, de Maria Rita; “De uns tempos pra cá”, de Chico César; “Lonji”, de Tcheka (cantor e compositor do Cabo Verde); e “Ponto Enredo”, de Pedro Luís e a Parede Trabalhou em televisão com os diretores Guel Arraes e Jorge Furtado. Para eles, fez a direção musical de “Caramuru, a Invenção do Brasil” que depois de minissérie, virou um longa-metragem. Participou também da direção do musical de “Cambaio”, musical de João Falcão e Adriana Falcão, baseado em canções de Chico Buarque e Edu Lobo. Lenine ganhou dois prêmios Grammy Latino: um pelo “Melhor Álbum Pop Contemporâneo” com seu álbum “Falange Canibal”; e outro em 2009 na categoria melhor canção brasileira com a música “Martelo Bigorna”.

DISCOGRAFIA

ALBUNS

    * 1983 – Baque Solto

    * 1994 – Olho de Peixe

    * 1997 – O Dia em que Faremos Contato

    * 1999 – Na Pressão

    * 2002 – Falange Canibal

    * 2004 – Lenine Incité

    * 2006 – Acústico MTV

    * 2008 – Labiata

    * 2010 – Lenine.doc Trilhas

    * 2011 – Chão

COLETANEAS

Perfil

PARTICIPACOES EM ALBUNS DE OUTROS ARTISTAS

    * Arícia Mess – Cabeça Coração: violão em O Homem dos Olhos de Raio X

    * Carlos Malta e Pife Muderno: voz em Canto de Ema

    * Carlos Malta – Escultor do Vento: voz em Morena Bela

    * Chico César – Aos Vivos: violão e voz em Dança (Chico César); e Nato (Chico César e Tata Fernandes)

    * Chico César – Cuscuz Clã: coro em Folia de Príncipe

    * Elba Ramalho – Flor da Paraíba: voz em Lavadeira do Rio

    * Fernanda Abreu – Raio X: voz em Jack Soul Brasileiro

    * Gabriel o Pensador – Seja Você Mesmo, Mas Não Seja Sempre O Mesmo: composição e voz em Brasa

    * Jane Duboc – Todos os Caminhos: em Lá e Cá

    * Kid Abelha – Acústico MTV: voz em Na rua, na chuva, na fazenda

    * Lula Queiroga – Aboiando a Vaca Mecânica: em Rosebud – O Verbo e a Verba (Lenine e Lula Queiroga)

    * Lula Queiroga – Azul Invisivel Vermelho Cruel: em Loa da Lagoa (Lenine e Lula Queiroga)

    * Marcos Suzano – Sambatown: voz em O Curupira Pirou (Lenine e Suzano)

    * Maria João e Mário Laginha – Chorinho Feliz

    * Massilia Sound System – Joglars (Nos fau Cantar Tot Aquo: narração da história dos trovadores e repentistas

    * Mestre Ambrósio: percussão de voz em Benjaab (Lenine e Siba), além de produzir o CD ao lado de Marcos Suzano e Denílson Campos

    * Miriam Maria – Rosa Fervida em Mel: voz falada no início de Caribantu (Lenine e Sérgio Natureza)

    * Mu Chebabi – voz em Vagabundo

    * Paulinho Moska – Contrasenso: voz e violão em Relampiano

    * Paulinho Moska – Móbile: voz em O Mundo (André Abujamra)

    * Pedro Guerra – Oferendas: voz em Miedo

    * Pedro Luís e a Parede – Astronauta Tupy: percussão de voz em Chuva de Bala (Pedro Luís)

    * Pedro Luís e a Parede – voz em Quebra-Quilos (Pedro Luís)

    * Renata Arruda: violão em A Gandaia das Ondas

    * Roberta Sá – voz em Fogo e Gasolina (álbum Que belo estranho dia de amanhã)

    * Trio Nordestino – Baú do Trio Nordestino: Voz O Chineleiro (João Silva/j.b. Aquino)

    * Vange Milliet – Arrepiô: percussão de voz em Negra Melodi (Jards Macalé e Waly Salomão)

    * Vitor Ramil – Tambong: voz em Um Dia Você Vai Servir a Alguém, versão de Vitor Ramil para Gotta Serve Somebody (Bob Dylan)

    * Zélia Duncan – Intimidade: arranjo e violão em Vou Tirar Você do Dicionário (Itamar Assumpção e Alice Ruiz)

EM ALBUNS ESPECIAIS

    * Asas da América – Canção: (EU ACHO É POUCO)

    * América (telenovela) – Trilha Sonora: Vida de Viajante

    * Ana Raio e Zé Trovão (telenovela) – Trilha Sonora: As Voltas Que o Mundo Dá, parceria com Dudu Falcão

    * Balaio do Sampaio – Tributo a Sérgio Sampaio: Pavio do Destino

    * Cambaio (teatro) – Trilha Sonora: Cambaio de Chico Buarque e Edu Lobo

    * Casa do Forró – Ao Vivo: Pagode Russo, com participação de Frejat

    * O Clone (telenovela) – Trilha Sonora: O Silêncio das Estrelas

    * Djavan – Songbook: Maça do Rosto

    * Drop The Debt: Rosebud

    * Era Uma Vez (telenovela) – Trilha Sonora: Dois Olhos Negros (Lula Queiroga)

    * As Filhas da Mãe (telenovela) – Trilha Sonora: Mero Detalhe

    * Jorge Amado – Letra & Música: É Doce Morrer no Mar

    * Luau MTV: A Ponte e Jack Soul Brasileiro

    * Reginaldo Rossi – Tributo: A Raposa e as Uvas

    * Rogério Duarte – Canção do Divino Mestre: projeto de Carlos Rennó em que foram convidados compositores para musicar trechos de poemas

    * Sítio do Picapau Amarelo – Trilha Sonora: De Sabugo a Visconde

    * Belíssima (telenovela) – Trilha de propaganda: Do It

    * A Favorita (telenovela) – Trilha Sonora: É o que me interessa

    * Caminho das Índias (telenovela) – Trilha Sonora: Martelo Bigorna

    * Viver a Vida (telenovela) – O Último Pôr do Sol

    * Passione (telenovela) – Aquilo que Dá no Coração (tema de abertura)

OUTROS PROJETOS

    * Caramuru, A Invenção do Brasil – filme: Direção Musical do filme

    * Projeto 5 no Palco: Diversos shows em 1998, com Chico César, Zeca Baleiro, Marcos Suzano e Paulinho Moska

    * Bloco Quanta Ladeira – Carnaval de Recife

 VIDEOS (DVD/VHS)

    * 2004 – In Cité

    * 2006 – Acústico MTV

    * 2007 – Breu

VIDEOS MUSICAIS

    * O Homem dos Olhos de Raio-X

    * Paciência

    * Dois Olhos Negros

    * Hoje Eu Quero sair Só

    * Acredite ou Não

    * JackSoul Brasileiro

QUEM GRAVOU

    * Ana Cristina: A Ponte

    * Badi Assad: Acredite ou não e Distantes Demais

    * Daniela Mercury: “Meu Plano” (MTV Ao Vivo – Eletrodoméstico, 2003), “Sou de Qualquer Lugar”

    * Daúde: Hoje Eu Quero Sair Só

    * Edu Luke: Lá e Cá

    * Elba Ramalho: Que Baque é Esse, A Roda do Tempo, Miragem do Porto, Lavadeira do Rio, Leão do Norte

    * Fernanda Abreu: JackSoul Brasileiro

    * Edson Montenegro: Meu Amanhã

    * Isabela Ladeira e Rosana Brito: Hoje Eu Quero Sair Só

    * Jambêndola: Leão do Norte

    * João Marcelo Bôscoli e Cia: Acredite ou Não e Distantes Demais

    * Klébi Nori: Hoje Eu Quero Sair Só

    * Luiza Possi: A Gandaia das Ondas – Pedra e Areia

    * Maria Bethania: Nem Sol, Nem Lua, Nem Você

    * Maria Rita: Lavadeira Do Rio

    * Mestre Ambrósio: Benjaab

    * Miriam Maria: Caribantu e O Silêncio das Estrelas

    * Mônica Salmaso: Tuaregue e Nagô

    * MPB4: Virou Areia

    * Pedro Camargo Mariano: Acredite ou Não, A Medida da Paixão

    * Ney Matogrosso: Mais Além e A Balada do Cachorro Louco

    * Quinteto Violado: Leão do Norte

    * O Rappa: Óia o Rappa

    * Renata Arruda: Gandaia das Ondas e Caçadora de Peles

    * Sabá Moraes: Miragem do Porto

    * Sandy: Hoje Eu Quero Sair Só

    * Tânia Maya: Tudo por Acaso

    * Vange Milliet: Falso

    * Virgínia Rosa: A Ponte, Miragem do Porto e Rita

    * Xangai: Miragem do Porto

    * Zé Guilherme: Que Baque é Esse?

    * Zé Renato: Na São Sebastião

    * Zé Rocha: Dia Feliz

    * Zizi Possi: Olho de Peixe

TRILHAS SONORAS

    * Alpnista Social – Lua Cheia de Amor, 1990

    * As Voltas Que o Mundo Dá – A História de Ana Raio e Zé Trovão, 1990, Rede Manchete

    * Dois Olhos Negros – Era Uma Vez, 1998

    * Hoje Eu Quero Sair Só – Dona Flor e Seus Dois Maridos, 1998 e em Chamas da Vida, 2008, Rede Record

    * Paciência – Vila Madalena, 1999

    * O Último Pôr do Sol – A Invenção do Brasil, 2000 e em Viver a Vida, 2009

    * Miragem do Porto – A Invenção do Brasil, 2000

    * La e Lô – A Invenção do Brasil, 2000

    * Etnia Caduca – A Invenção do Brasil, 2000

    * Tubi Tupy – A Invenção do Brasil, 2000

    * Bambuluá – Bambuluá, 2000

    * Vieste – Estrela-Guia, 2001

    * Mero Detalhe – As Filhas da Mãe, 2001

    * O Silêncio das Estrelas – O Clone, 2001

    * De Sabugo à Visconde – Sítio do Pica-Pau Amarelo, 2001

    * Agora é Que São Elas – Agora É Que São Elas, 2003

    * Vida de Viajante – América, 2005

    * Do It – Belíssima, 2005

    * Nada Por Acaso – Pé na Jaca, 2006

    * Não Faz Mal a Ninguém – Sete Pecados, 2007

    * É o Que Me Interessa – A Favorita, 2008

    * Martelo Bigorna – Caminho das Índias, 2009

    * O Mundo (com: Moska, Zeca Baleiro e Chico César) – Cama de Gato, 2009

    * O Último Pôr-do-Sol – Viver a Vida, 2009

    * Magra – Cinquentinha, 2009

    * Aquilo Que Dá no Coração – Passione, 2010

    * Crença – Ti Ti Ti, 2010

    * Magra – As Cariocas, 2010

    * Candeeiro Encantado – Cordel Encantado, 2011

Amigos, apoiem e ajudem a divulgar esse lindo projeto da minha amiga DANIELLA ALCARPE. Este projeto tem como objetivo realizar a gravação do segundo CD da cantora revelação na nova geração da MPB: Daniella Alcarpe. Com sua voz doce e envolvente, Daniella pretende continuar o ótimo trabalho realizado no seu primeiro CD como intérprete, de título “Qué que cê qué?”. O segundo CD está em fase de gravação e tem no repertório músicas inéditas de vários compositores ascendentes no cenário da música popular brasileira, além de algumas re-leituras. A cantora Daniella Alcarpe iniciou seus estudos musicais na infância e aperfeiçoou-se nos principais conservatórios de São Paulo, incluindo o Conservatório Musical Souza Lima. Desde 1997 estuda técnica vocal com o cantor lírico Jeller Filipe, com o objetivo de aprimorar seu canto, voltado à música popular. Formada em Música pela Faculdade de Artes Alcântara Machado (FMU/FAAM), a cantora tem se firmado cada vez mais no cenário da MPB, com um repertório eclético e sofisticado. Daniella lançou em 2009 o CD “Qué que cê qué?” e, desde então, vem se apresentando em diversas casas de espetáculo, bares, espaços culturais e teatros de São Paulo, tais como: Ao Vivo Music, Café Paon, Livraria Cultura, Livraria da Vila, FNAC, etc. Além do trabalho solo, Daniella faz parte do grupo vocal Vazante. O grupo é formado por quatro cantoras, sob direção do músico e compositor Kleber Albuquerque. Esse projeto será feito em parceria com o músico e produtor João Marcondes. João é mestre em Educação Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2007-2009). Pós-graduado em Docência de Música Brasileira pela Universidade Anhembi-Morumbi. Possui Licenciatura Plena em Educação Artística – com habilitação em Música (2002-2004) pela FPA. Formou-se Técnico em Música – com habilidade em Guitarra (2004/2008) pela Faculdade Souza Lima e Berklee. É multi-intrumentista, usufruindo dos seguintes instrumentos: Violão, Violão de 7 cordas, Cavaquinho, Bandolim, Violão Tenor, Viola Caipira, Guitarra, Banjo Brasileiro e Percussão Geral. João é arranjador, produtor e diretor musical de 26 discos, entre eles: “Instrumental Lado Brasil” – BAC Discos – 2003; “Despertar” – Joca Freire – 2005; “Amigo Samba” – Joca Freire – CPC-UMES 2006; “Amanhecer” – Wagner Barbosa e Paula Mirhan – BAC Discos/Tratore – 2007; “Tempo Breve” – Cláudio Olliver – BAC Discos/Tratore 2007; “Não tenho culpa se você não sabe sambar” – Zé de Riba – BAC Discos; “Qué que Cê qué?” – Daniella Alcarpe – Independente/Tratore 2008; “Falha Humana” – Douglas Germano – 2008; “Amanhecer Ao vivo” – Wagner Barbosa e Paula Mirhan – 2009; “Entra na Dança” – Guilherme Meyer – 2010 – GravaRio; “Tributo Musical a Marc Chagall” – Zé de Riba – 2010. APOIEM pelo LINK: http://catarse.me/pt/projects/451

O projeto da gravação do segundo CD da cantora inclui os custos de:
– pré-produção e arranjos 
– gravação em estúdio das canções 
– mixagem e masterização 
– comunicação visual, arte, fotografia, capa e site

Hoje entrevistando dois talentos ímpares: o Lelo Andrades e o Robson Moura, e no decorrer do bate-papo informal do programa, uma coisa ficou em minha cabeça: O QUE É O SUCESSO? Acho que a resposta do Robson para esse meu questionamento foi a melhor que ouvi até hoje: ‘as pessoas confundem muito sucesso com fama, sucesso para mim é saber que alguém gostou da minha música, e me convida para compor…”. Realmente, isso é o sucesso. O preço da fama é muito caro: submeter-se a modismos musicais, ser obrigado a seguir tendências porque aquela gravadora acha que só assim você fará sucesso não vale a mínima pena. Aí vem a velha questão, então como mostrar o teu trabalho autoral? Como fazer com que a sua música que é de qualidade chegue aos ouvidos das pessoas, com tanta ‘permissa venia” porcaria sendo enfiada goela a baixo pela grande mídia? Sempre utilizo como paradigma os anos 80, mas é fato, a década foi abundante em espaços para a música autoral, em movimentos artísticos também como a vanguarda paulista; talvez pelos 22 do nefasto regime de exceção, as pessoas estavam sedentas em mostrar trabalho, em gritar a quatro cantos o quanto a cultura é importante. Não é saudosismo de minha parte, mas a mais pura e cristalina realidade. Hoje os espaços não raros para muitos artistas de talento, vejam o exemplo dos convidados do Programa Tah Ligado, cada semana uma vertente da música brasileira, e o melhor e o que muito me honra é a qualidade, que só se contempla com a seriedade e profissionalismo de cada convidado! Outra coisa dita hoje no programa é a falta de movimentos artísticos, e pela lógica deveriam existir porque há tanta gente no cenário independente, não é possível que tantos talentos não estejam imbuídos numa mesma idéia ou afinidade!!! Acho que a globalização tem sua responsabilidade nisso! As coisas hoje são tão rápidas, tendências, tecnologia, informação, tudo gira num segundo, não há mais tempo de parar e pensar num neotropicalismo ou qualquer coisa que o valha…acho que estou ficando velho…risos. Mas há uma luz no fim do túnel: fizemos uma grande festa para comemorar os 3 anos de programa Tah Ligado, reunimos 9 artistas, e o melhor, todos estavam felizes e num mesmo objetivo: MOSTRAR O SEU TRABALHO AUTORAL! Isso me deixou muito feliz, além de sentir o prestígio do programa. Não tenho a pretensão nenhuma de ser o dono da verdade, e nem ser o único a levantar a bandeira de que educação e cultura são as colunas fundamentais para uma Nação forte. Não tenho pretensão alguma de ser o único a erguer a bandeira e abrir espaço para a música de qualidade, gostaria muito que todos fizessem isso de alguma forma. As nossas vidas são regadas por música, brinco sempre que a vida é uma eterna trilha sonora, então porque não fazer essa playlist não só com aquilo que nos obrigam a ouvir? Vamos pegar os nossos Lps, Cds, revisitar os grandes nomes da música popular brasileira, e internacional, independentemente de gênero. Mostrem para seus filhos, contem os shows mais emocionantes que já foram, mostrem vídeos do youtube destes artistas, compartilhem em suas redes socais, não seria legal? Talvez isso ajude as novas gerações, e em especial aqueles que têm uma vocação divina para compor, e tocar um instrumento a terem como paradigmas a verdadeira música brasileira!